8.2.10

Acreditei quando me pediste e fiz tudo ao meu alcance para te ver viver enquanto eu me tornava moribunda lentamente. Cada inspiração rasgava-me os pulmões com o ar que tinhas envenenado à tua passagem. A cada expiração sentia-me mais perdida. Rejeitei a ajuda de outros por acreditar piamente que eras o único que me podia salvar. Foram precisos 4 anos para incendiar a minha venda. Quatro anos a procurar abrigo em ti, nos teus sonhos, na tua pele, no teu respirar. Quatro anos com um coração oco do qual apenas recebia eco quando os meus lábios lhe ofereciam um "amo-te". Um eco surdo, um eco entorpecido, um eco sem verdade nas suas repetições. A única coisa que sentia quando pegavas em mim e me penetravas com o teu desejo surdo-mudo era frio. Se soubesses como me sentia fria por dentro com o sangue congelado e o coração estático...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial